Graus de Severidade de Asherman

Sociedade de Histeroscopia, 1989:

I - Aderências finas ou membranosas, de fácil ruptra com o histeroscópio, regiões cornuais normais.

II - Aderências densas e singulares conectando diferentes partes da cavidade uterina, possível visualização dos óstios das trompas, nao se rompem com o histeroscópio. IIa - Aderências na região do colo do útero. Cavidade superior normal.

III - Múltiplas aderências densas conectando diferentes partes da cavidade uterina, obliteração unilateral da área do óstio das trompas. IIIa - Paredes uterinas com grande estensão de cicatrizes, com amenorréia ou hipomenorréia. IIIb - Combinação de III e IIIa.

IV - Cavidade uterina com ampla presençam de aderências densas, aglutinação das paredes uterinas. Oclusão do dois óstios.

Cassificação por Valle e Sciarra, 1988

Leve - Aderências densas compostas pela base do endométrio produzindo completa ou parcial oclusão da cavidade uterina. Moderado - Aderencias fibromusculares caracteristicamente grossas, cobertas pelo endométrio, dividindo total ou parcialmente a cavidade uterina. Severo - Tecido cicatricial sem camada do endométrio, com sangramento após rompimento, com oclusão parcial ou total da cavidade uterina.

Cassificação po Donnez e Nisolle, 1994

I - Aderências centrais.

a) aderências densas e finas (aderências endometriais)

b) miofibrose (aderências conectadas)

II - Aderências marginais (sempre miofibroses ou conectivas)

a) projeçoes

b) oblituração de um trompa

III - Ausência de cavidade uterina na histerossalpingografia

a) oclusão do colo do útero (cavidade superior normal)

b) aglutinação estensiva das paredes uterinas (ausência de cavidade uterina)

International Ashermans Association
visitors: 

Conditions of third party use

Contents from this website may be reprinted only under the condition that the content is credited to International Ashermans Association and a URL link i.e.  http://www.ashermans.org/ 
is included.