Gravidez após o diagnóstico de Asherman

Gravidez pós-asherman pode ocorrer naturalmente e sem complicações dependendo da severidade do caso. Porém, em alguns casos, o endométrio foi tão comprometido que passa a não responder bem aos hornônios naturais. Neste caso, não é possível uma gestação. Em outros, o endométrio pode responde bem à administração de hormônios, favorecendo a implantação do embrião. Gravidez pós-asherman pode aumentar o risco de alguns problemas como a Placenta Prévia (crescimento da placenta na região mais baixa do útero), Placenta Acreta (dentro da parede uterina), incompetencia istmo-cervical (gerado por dilatação e curetagem e nao pela síndrome). Tais problemas podem ser diagnosticados precocemente por ultrasom.

Riscos na Gravidez após Asherman

Este documento não substitui recomendações médicas. Você deve perguntar ao seu médico a respeito dos riscos envolvidos numa gravidez após Síndrome de Asherman

Quais são os riscos envolvidos numa gravidez pós Síndrome de Asherman?

Os riscos envolvendo uma gravidez pós-Asherman variam de acordo com a sua severidade. No caso de um caso mediano, após a remoção das sinéquias não há riscos, diferente se for um caso moderado a severo. Os riscos são: 1) aumento de risco de aborto espontâneo no 1o trimestre; 2)9% de risco de Placenta acreta, segundo uma pesquisa realizada com 137 grávidas pós-asherman. Placenta acreta significa que a placenta cresce dentro da parede uterina. Não é prejudicial ao bebê, mas durante o parto a placenta não será expelida e uma curetagem terá que ser realizada. Casos mais graves podem levar à hemorragia e retirada do útero. Quando há retirada do útero, é possível manter os ovários, mantendo assim a produção dos hormônios, o que difere da menopausa, ainda que não haja menstruação; 3)Placenta prévia: normalmente a placenta cresce na parte mais alta do útero, mas quando isso não é possível (quando o útero não está em boas condições devido a presença de sinéquinas, a placenta pode crescer na parte mais baixa, sobre o colo do útero. A placenta prévia pode aumentar o risco de sangramentos durante a gravidez, parto prematuro ou perda sanguínea durante o parto. Porém, se descoberto cedo, mais de 99% da gravidez corre bem. O risco de placenta prévia é menor que de placenta acreta. Alguns médicos especialistas em Asherman não consideram placenta prévia um risco potencial se foi feita a remoção das sinéquias previamente. 4)Incompetência Istmo-Cervical: é a incapacidade do colo do útero manter-se fechado, causando um aborto espontâneo dependendo da semana da gestação. Asherman não provoca este problema, mas sim a quantidade de dilatação e curetagem a qual a mulher foi submetida. Recomenda-se atenção especial a esta possibilidade. 5) Vasa Prévia: condição rara (1:3000) que resulta na morte do bebê.

International Ashermans Association
visitors: 

Conditions of third party use

Contents from this website may be reprinted only under the condition that the content is credited to International Ashermans Association and a URL link i.e.  http://www.ashermans.org/ 
is included.